26 de out de 2018

Após quase dois meses, prefeitura de Miracema cobra resposta sobre morte de prefeito



Em uma nota publicada pela Prefeitura de Miracema no Facebook, o prefeito Saulo Milhomem (PRTB) reclamou da demora nas investigações da morte de Moisés Costa (MDB). O crime aconteceu no final de agosto e até agora não teve nenhum suspeito preso pela Polícia Civil.

O corpo de Moisés da Sercon, como era conhecido, foi econtrado dentro de uma caminhonete em uma estrada vicinal. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Palmas em parceria com a delegacia de Miracema. A Secretaria de Segurança Pública disse que a polícia tem empregado diversas técnicas investigativas a fim de se identificar a autoria deste homicídio. Porém, não deu prazo de quando o caso será finalizado.

"Embora reconheçamos os esforços até aqui empenhados pela equipe de segurança nas investigações, ressaltamos nossa preocupação com a demora no esclarecimento desse crime, fato que traz angústia medo e especulações das mais variadas formas", afirmou o prefeito.

A nota afirma que a demora tem causado comoção e uma "onda de boatos" na cidade "criando um clima ainda maior de instabilidade social".

O prefeito Milhomem, que assumiu o cargo após a morte de Moisés Costa, afirma ainda temer pela própria segurança devido aos boatos. "Diante dos boatos que circulam, tais fatos poderiam colocar em risco nossa integridade física dada a grave comoção social causada pelo homicídio do prefeito Moisés".

A SSP afirma que, até o momento, dezenas de pessoas tiveram seus depoimentos colhidos pelas equipes policiais civis empenhadas no caso e diligências continuamente são realizadas a fim que este crime, que se apresenta como de alta complexidade, possa ser resolvido com celeridade.
Polícia interditou local onde a caminhonete foi encontrada — Foto: Leal Júnior/Divulgação


O caso
O prefeito de Miracema do Tocantins, Moisés Costa da Silva (MDB), conhecido como Moisés da Sercon, foi encontrado morto em uma estrada vicinal entre Miranorte e Rio dos Bois com uma marca de tiro na cabeça. No início das investigações a polícia trabalhava com as hipóteses de suicídio, latrocínio e homicídio.

Porém, o laudo pericial sobre a morte do prefeito Moisés Costa da Silva (MDB) confirmou a suspeita de que ele foi assassinado.

Desde o início das investigações parentes do prefeito afirmaram que não acreditavam na hipótese dele ter se matado. "Para mim, suicídio é a hipótese mais remota. As pessoas que cometem suicídio dão sinais, ficam tristes. Ele estava normal, estava muito feliz. Tinha realizado todos os sonhos e iria iniciar tratamento para ter filhos", contou Fidel Costa, irmão da vítima.

Entenda
O irmão da vítima contou que o prefeito estava em Miranorte e dispensou funcionários que o acompanhavam para fazer uma visita ao prefeito Antônio Carlos Martins (MDB).

Os funcionários e ficaram aguardando Moisés Costa em um posto de combustíveis, mas ele não retornou. O corpo foi localizado horas mais tarde dentro da caminhonete dele em uma rodovia que liga Miranorte a Rio dos Bois.

Moisés Costa da Silva tinha 44 anos, era casado e trabalhou como empresário e contador na cidade. Ele se candidatou a um cargo público pela primeira vez em 2016. Foi eleito prefeito de Miracema com 84% dos votos válidos e estava no primeiro mandato.



Fonte G1 TO
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fechar


 


Galeria de Fotos