20 de jun de 2016

Tecão empata em Gurupi e fica a um novo empate para o título


Veja o histórico e a campanhas das duas equipes finalistas

Num jogo muito pegado, Gurupi e Tocantins de Miracema empataram por 0 x 0, na tarde deste sábado, no Estádio Resendão, o jogo de ida da final do Campeonato Tocantinense. A partida da volta acontece no próximo sábado, dia 25, no Estádio Castanheirão, em Miracema. Por ter a vantagem da melhor campanha, o Tocantins joga pelo empate.


Estádio Resendão - palco do jogo de ida da final: Gurupi x Tocantins - Rafael Chaves - Secom/Prefeitura de Gurupi
 Numa final inédita, após 70 dias, Gurupi e Tocantins de Miracema iniciam neste sábado às 16 horas, no Estádio Resendão, o jogo de ida da decisão. Por ter feito melhor campanha, o Tocantins joga por dois resultados iguais (dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo placar). A decisão acontecerá no dia 25, no Estádio Castanheirão.


 HISTÓRICO

De um lado o Gurupi que nos últimos sete anos chegou em cinco decisões e levou três, foi vice em 2013 e agora retorna à final mais uma vez buscando seu sexto título e, consequentemente, tornar-se o maior vencedor de títulos do Estado do Tocantins. Hoje o Gurupi e o Palmas são os maiores vencedores com cinco conquistas cada clube.

Já o Tocantins não chegava a uma final há 22 anos, a última vez foi em 1994 quando perdeu o título para o União Araguainense por 3 x 0 e 2 x 0.

Gurupi
O Gurupi teve dois desfalques importantes como o volante e capitão do time Paulo Roberto, expulso contra o Interporto, e o atacante e artilheiro do campeonato Régis Wenzel, com dez gols e que levou o terceiro cartão amarelo. 

O técnico do Gurupi Roberto Oliveira pode entrar para história do futebol tocantinense e igualar-se a Carlos Magno, que soma seis conquistas. Oliveira já foi campeão cinco vezes: Araguaína (2006), Palmas (2007), Gurupi (2010 e 2011) e Interporto (2013).

Tocantins
Já o Tecão Maravilha, do técnico Célio Ivan, jogou com o time completo com o retorno do lateral-esquerdo Jean, que ficou fora no último jogo pelo terceiro cartão amarelo.
O treinador foi eleito o ano passado o melhor técnico no futebol acreano quando comandou o Plácido de Castro. Ele é formado em Educação Física e graduado em Fisiologia do Exercício. “Estou tranquilo e confiante. Fizemos um trabalho perfeito durante a competição e com planejamento”, disse confiante Ivan.

Campanhas
Na primeira fase, o Tocantins disputou 14 jogos: venceu dez, empatou apenas um e perdeu três. Marcou 28 gols e sofreu 17. Na fase semifinal, empatou os dois jogos contra o Paraíso: 0 x 0 (Pereirão) e 1 x 1 (Castanheirão). Com isso, já disputou 16 partidas: dez vitórias, e três empates e três derrotas,marcou 28 gols e sofreu 18 , tendo um saldo de 11.

Já o Gurupi, na primeira fase disputou 14 jogos: venceu sete, empatou dois e perdeu cinco. Marcou 19 gols e sofreu 14. Nas semifinais, o Camaleão do Sul enfrentou o Interporto. Venceu no Resendão por 1 x 0 e empatou em Porto Nacional por 0 x 0. Com isso, disputou 16 partidas: obteve oito vitórias, três empates e cinco derrotas. Marcou 20 gols e sofreu 14. Tem saldo de 6. O árbitro André Rocha (CBF) vai comandar o jogo de ida da final. Ele será auxiliado pelos assistentes Fábio Pereira (CBF) e Natal Júnior (CBF). O quarto árbitro será João Sales (Gurupi). No atual Tocantinense já comandou cinco partidas: Ricanato x TEC, Gurupi x Interporto, Paraíso x Ricanato, Araguaína x Ricanato e Paraíso x Tocantins.


  (Com informações do JTo. e do Alô Esporte)

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fechar


 


Galeria de Fotos