30 de out. de 2015

Suspeito de assassinar tenente é morto por PM na zona rural de Miranorte

Pintor Weligton Lacerda de Sousa, de 36 anos, é acusado de ter matado o oficial da reserva José Carlos Pinheiro Farias, 52 anos; caso gera polêmica na cidade

Weligton Lacerda de Sousa

O pintor Weligton Lacerda de Sousa, de 36 anos, suspeito de ter assassinado na tarde dessa quinta-feira, 29, com um tiro no rosto, o tenente da reserva José Carlos Pinheiro Farias, 52 anos, foi morto em confronto com a Polícia Militar na manhã desta sexta-feira, 30, na zona rural de Miranorte.

Conforme a Assessoria de Comunicação (Ascom) da PM, equipes de militares da unidade local, com o apoio da Rotam, localizaram o suspeito na zona rural. Ao visualizar as viaturas da polícia, de acordo com a Ascom, "o fugitivo adentrou na mata e efetuou vários disparos contra os militares, que reagiram à agressão". A PM ainda informa que Sousa foi atingido e levado ao hospital, porém, não resistiu aos ferimentos e faleceu.

A Ascom ainda diz que será instaurado inquérito policial militar para apurar as circunstâncias da ocorrência, o que é o procedimento natural em todo caso com vítima fatal "após confronto ou outras circunstâncias”.

Áudio gera polêmica
A morte do pintor, contudo, teria gerado muita revolta em Miranorte. Um áudio que circula peloWhatsApp na cidade conta que Sousa apanhou do tenente na rua nessa quinta, foi para casa, tomou banho, deitou e disse que não iria sair. Contudo, ainda conforme o áudio, o tenente reformado “não ficou satisfeito” foi até lá, quando ambos tiveram uma luta corporal. Sousa teria então tomado a arma e atirado contra o policial para “defender a própria vida”, fugindo em seguida.

O áudio narra que há duas semanas um crime parecido aconteceu também em Miranorte. Um homem teria matado outro em legítima defesa quando estava na porta do escritório. “Ninguém moveu uma palha”, afirma a voz que circula pelo WhatsApp. “A PM não deu um passo atrás do cara. Por quê? Porque o 'cara' que morreu era um um cidadão comum."

Ainda segundo o áudio, o tenente Pinheiro morreu “caçando confusão, o que ele mais gostava mais de fazer” e "a Polícia 'covarde' foi atrás até achar o suspeito". “Veio até Rotam de Palmas. Por quê? Porque ele era um militar."

O áudio também fez a crítica: “A vida de um militar tem mais valor que a de um civil, gente? Nós trabalhamos para pagar o salário deles. Isso é uma pouca vergonha!”

CT enviou e-mail à Ascom da PM questionando a possibilidade de uma vingança no caso, como suspeitam moradores de Miranorte, mas não houve resposta.

Confira a seguir a íntegra da nota da PM:

Leia a íntegra da nota:

"A Polícia Militar realizou diligências, nesta sexta-feira, 30, em Miranorte, na busca do autor do homicídio, ocorrido no dia anterior, de oficial da reserva da Polícia Militar, de 52 anos, policial militar da reserva.

Equipes de militares da unidade com o apoio da Rotam localizaram o suspeito, de 36 anos, na zona rural da cidade de Miranorte. Ao visualizar as viaturas da polícia, o fugitivo adentrou na mata e efetuou vários disparos contra os militares, que reagiram a agressão. O autor foi atingido e levado de imediato ao hospital, porém veio a óbito.

A Polícia Militar instaurará o procedimento legal (inquérito policial militar) para apurar as circunstâncias da ocorrência. Cabe ressaltar que em toda ocorrência que tenha vítima fatal após confronto ou outras circunstâncias, um inquérito policial militar é instaurado".

Confira abaixo o áudio que circula pelo WhatsApp em Miranorte:





Fonte: Cleber Toledo
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

MIRACEMA TV ONLINE

Fechar


 


Galeria de Fotos